TERRITÓRIO
TERRITÓRIO

O território de intervenção da ADELIAÇOR está localizado no Atlântico Norte, entre as latitudes 38º22’N e 39º44’N e as longitudes 27º45’O e 31º17’O.

A sua superfície total é de 1.019 km², , cerca de 44% da superfície total do Arquipélago dos Açores, sendo totalmente classificado como território rural.

A atuação da Associação concentra-se em três ilhas do Grupo Central – São Jorge, Pico e Faial – e as duas ilhas do Grupo Ocidental – Flores e Corvo.

Estas cinco ilhas representam nove municípios: Velas e Calheta de São Jorge; Madalena, Lajes e São Roque do Pico; Horta – Faial; Santa Cruz e Lajes das Flores; e o Corvo. Contemplam ainda 53 freguesias.

As ilhas são de origem vulcânica com predomínio de basaltos. A sua orografia é relativamente acentuada, com falésia, planaltos e fajãs, com altitudes máximas entre os 718 metros na ilha do Corvo e 2.351 metros na ilha do Pico, ponto mais elevado de Portugal.

Abundam os estatutos de proteção e áreas protegidas com classificações de diversa ordem, que atestam da sua riqueza e biodiversidade, cuja gestão compete aos Parques Naturais em cada ilha.

No âmbito da Rede Natura 2000 estão classificados no território de intervenção da ADELIAÇOR diversas Zonas de Especial Conservação (ZEC) e Zonas de Protecção Especial (ZPE), para além de Sítios RAMSAR, Reservas da Biosfera – Corvo, Flores e Fajãs da Ilha de São Jorge, a Paisagem Protegida da Cultura da Vinha da Ilha do Pico, classificada como Património da Humanidade da UNESCO, trilhos pedestres e o Geoparque Açores.

Em termos de actividade económica destaca-se a agricultura associada à pecuária e/ou à viticultura, bem como a pesca.

A indústria de lacticínios e de produção de carne bovina estão presentes nas cinco ilhas, a transformação de pescado na Ilha de São Jorge e a produção de vinho está em crescimento acentuado na Ilha do Pico.

Destaca-se o aumento da atividade turística nas vertentes do alojamento, animação turística, restauração e serviços conexos.

É um conjunto de ilhas generosas em produtos locais de excelência, com diversidade de queijos e manteigas de reconhecida qualidade, enchidos, vinhos, mel de Incenso, carne e peixe.

A riqueza do património local, tem testemunho nas Igrejas e Conventos, ermidas, poços de maré, Solares e no casario tradicional que o povo teima em conservar.

O Artesanato é especial e revela a originalidade dos artesãos na escolha das matérias-primas locais, como sejam o miolo de figueira, miolo de hortênsia, lã, palha, madeira, vimes, mas também pelas peças criadas: rendas, tecelagem, chapéus, cestaria, peças decorativas.