UE premeia projetos no âmbito do Novo Bauhaus Europeu

A União Europeia (UE) lançou na passada sexta-feira um conjunto de prémios no âmbito da iniciativa Novo Bauhaus Europeu, que preveem uma recompensa de até 30 mil euros para projetos que ilustrem os conceitos de “sustentabilidade, estética e inclusão”.

“Estes prémios irão juntar exemplos excelentes e novas ideias que podem inspirar este projeto global e contribuir para moldar o Novo Bauhaus Europeu. (…) Iremos dar visibilidade a projetos e a conceitos que ilustrem como o triângulo da sustentabilidade, estética e inclusão já se encontra traduzido em toda a Europa”, disse, em conferência de imprensa, a comissária para a Coesão e Reformas, Elisa Ferreira.

Lançados no âmbito da fase de design da iniciativa Novo Bauhaus Europeu – apresentada em janeiro pela Comissão Europeia e que visa aliar um movimento estético e cultural à transição climática da UE -, os prémios estão divididos em duas competições distintas. A primeira, intitulada New European Bauhaus Awards, irá galardoar projetos que já tenham sido desenvolvidos e que ilustrem, “de maneira clara”, os três conceitos da “sustentabilidade, estética e inclusão” que se encontram no cerne da iniciativa em questão.

“Os projetos não têm de assumir necessariamente uma forma física, como um edifício ou um produto material. Para algumas categorias, também podem materializar-se em metodologias ou processos realizados ou implementados, tais como modelos de educação ou projetos culturais”, lê-se num comunicado do executivo comunitário. Os vencedores desta competição irão receber 30 mil euros e um “pacote de comunicação”, que inclui a realização de um “pequeno documentário” e “publicidade mediática paga”.

A segunda competição, destinada apenas a indivíduos com menos de 30 anos, intitula-se New European Bauhaus Rising Stars e visa recompensar “conceitos ou ideias desenvolvidas por jovens” que permitam “abrir o caminho para o futuro”.

“Os jovens são o nosso futuro, mas também são o nosso presente, e ainda que a iniciativa [Novo Bauhaus Europeu] queira ser tangível a partir de agora, também se inscreve no longo prazo, ao procurar mudar em profundidade o nosso modo de vida. E, por isso, a participação, a visão e as ideias dos talentos jovens são indispensáveis para o sucesso desta iniciativa”, sublinhou a comissária para a Inovação, Investigação, Cultura, Educação e Juventude, Mariya Gabriel.

Contrariamente aos prémios que galardoam projetos já implementados, a competição destinada aos jovens procura “ideias e conceitos em diferentes fases de desenvolvimento”, desde que venham acompanhados de um plano e “delineamento dos passos planeados para desenvolver, promover ou implementar o conceito ou a ideia”.

A competição destinada aos jovens, além do “pacote de comunicação” que também se encontra englobado na New European Bauhaus Awards, recompensa ainda os vencedores com um prémio de 15 mil euros.

As candidaturas para as duas competições terminam a 31 de maio, sendo ambas compostas por dez categorias que vão de recompensas para projetos que utilizem “técnicas, materiais e procedimentos na construção e no design que “contribuam para mitigar as alterações climáticas”, a “exemplos emblemáticos de regeneração territorial”.

“O Novo Bauhaus Europeu vai ser, temos a certeza disso, uma inspiração para um modelo de reconstrução que combina a sustentabilidade, a estética e a inclusão, remodelando os espaços onde vivemos, onde trabalhamos e onde passamos tempo juntos. É verdadeiramente um movimento pan-europeu, desenvolvido através da cocriação e da coparticipação. Queremos assegurar-nos que os cidadãos fazem parte dele”, disse Elisa Ferreira.

O Novo Bauhaus Europeu foi lançado pela Comissão Europeia em Janeiro, encontrando-se atualmente na fase de design, que deverá durar até ao Verão, e na qual se enquadram os prémios. Durante esta fase, pretende-se moldar o conceito do movimento ao “perceber o que já existe” e ver “como e onde o novo Bauhaus Europeu pode acelerar, concretizar e materializar novas ideias”.

Finda esta fase, suceder-se-ão as fases de concretização, em que os projetos escolhidos durante o design começarão a ser desenvolvidos, e de “disseminação”, que procurará “difundir as novas ideias e conceitos a uma audiência mais vasta, não só na Europa, mas também além dela”.