Portugal progride na maioria dos indicadores dos ODS

Portugal registou progressos na maioria dos indicadores associados aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), revelou o Instituto Nacional de Estatística (INE), no âmbito do acompanhamento da Agenda 2030 da Organização das Nações Unidas (ONU).

Todos os objetivos, à exceção do 14 (conservar e usar de forma sustentável os oceanos, mares e os recursos marinhos) apresentaram evoluções favoráveis ou atingiram a meta em 50% ou mais dos diferentes indicadores considerados para avaliação, comparando o ano mais recente com o primeiro ano disponível para análise.

Os indicadores considerados abrangem o período 2010-2020.

Estão em causa 17 objetivos e 169 metas, estabelecidas na agenda da ONU para abarcar preocupações sociais, económicas e ambientais.

O primeiro objetivo é erradicar a pobreza, sob todas as formas, em todos os lugares. Em Portugal, o risco de pobreza afetava em 2019 cerca de 1,7 milhões de pessoas.

“Em Portugal, 16,2% das pessoas estavam em risco de pobreza em 2019, menos 1 ponto percentual (p.p.) do que em 2018 e menos 3,3 p.p. do que em 2013 e 2014”, segundo o documento publicado pelo INE.

“Comparando o ano mais recente com o primeiro ano disponível, é possível concluir que a maioria (90) dos indicadores analisados nesta publicação registou uma evolução positiva, 31 apresentaram uma evolução desfavorável e sete não registaram alterações”, refere o INE.

Já com base na informação para o último ano disponível (2020), verifica-se que no objetivo 8 (promover o crescimento económico inclusivo e sustentável, o emprego pleno e produtivo e o trabalho digno para todos) o número de indicadores com evolução desfavorável superou ou igualou os que registaram evolução favorável, tal como aconteceu com o objetivo 14 (conservação dos oceanos).

“No último ano com informação disponível, 49% (75) dos indicadores analisados registou uma evolução no sentido desejável”, de acordo com o INE.

Em 10 objetivos, 50% ou mais dos indicadores apresentaram uma evolução favorável. Entre estes objetivos estão a erradicação da pobreza (1) e o acesso à educação inclusiva (4).

“Por outro lado, 26 indicadores evoluíram no sentido contrário ao desejável”, referiu o INE na análise para Portugal, indicando que nos objetivos 8 e 14, o número de indicadores com evolução desfavorável superou ou igualou o de indicadores com evolução favorável.