Pesca europeia demonstra resiliência apesar da Covid-19

O Relatório Económico Anual de 2020 sobre a frota de pesca da União Europeia (UE) projeta que, no ano transato, a frota da UE continuou lucrativa, apesar dos efeitos da Covid-19 nos mercados piscatórios. Segundo a Comissão Europeia, “uma pesca mais sustentável e com menos custos de combustível ajudaram a mitigar os impactos socioeconômicos da pandemia”.

Comentando o relatório, o Comissário Europeu para o Ambiente, Oceanos e Pescas, Virginijus Sinkevičius referiu que “este relatório mostra que a sustentabilidade compensa. Também em tempos de crise, as nossas frotas pesqueiras devem permanecer no caminho da sustentabilidade. Este é um caminho que cria resiliência e acelera a recuperação económica”.

Em 2018, a frota da UE registrou um lucro líquido de 800 milhões de euros. Isto representa um progresso significativo, considerando que a frota da UE conseguiu equilibrar as contas em 2008 à tangente. O desempenho forte e continuado foi o resultado de uma média mais elevada do preço do peixe, baixos preços dos combustíveis e da melhoria do estado de alguns mercados. Esta foi uma tendência que se manteve em 2019.

Ao mesmo tempo, o relatório mostra as diferenças de desempenho entre as mais diversas categorias. Os segmentos da frota de grande escala e águas distantes registaram melhor desempenho económico do que os segmentos da frota costeira de pequena escala. Acresce que os segmentos da frota que operam no Atlântico Nordeste, onde a maior parte das unidades piscatórias são geridas a níveis sustentáveis, registaram um desempenho económico superior aos segmentos da frota que operam no Mar Mediterrâneo, onde numerosas unidades populacionais ainda enfrentam problemas de sobrepesca ou sobre-exploração.

No entanto, o surto de Covid-19 em 2020 interrompeu as tendências positivas observadas nos últimos anos. As projeções sugerem que, em 2020, o desempenho económico das frotas da UE diminuiu, devido ao impacto da pandemia e ao consequente declínio da procura e interrupções na cadeia de abastecimento. As projeções apontam quedas de 19% no emprego e 29% no lucro líquido em relação a 2019.

O relatório oferece uma visão abrangente das informações mais recentes sobre a estrutura e o desempenho económico das frotas de pesca dos Estados Membros da UE. Abrange o período entre 2008 a 2020 e inclui informações sobre a capacidade de pesca, esforço, emprego, desembarques, receitas e custos da frota da UE. O último ano de dados relatados pelos Estados-Membros é 2018, com dados preliminares de 2019. Portanto, as estimativas de desempenho agora lançadas fornecidas para 2019 e 2020 são apenas projeções e de forma alguma podem ser consideradas como previsões.

Apesar do impacto do Covid-19, as projeções mostram que a frota da UE terminaria 2020 com um nível razoável de rentabilidade. Isto indica uma forte resiliência da frota da UE, que é o resultado dos esforços levados a cabo pelo setor em anos anteriores para atingir o objetivo de Rendimento Máximo de Sustentabilidade definido pela Política Comum das Pescas, em conjunto com os preços baixos dos combustíveis. Além disso, o relatório mostra que o desempenho económico e os salários dos pescadores e das mulheres na UE estão a melhorar, nos casos em que as frotas dependem de unidades populacionais orientadas de forma sustentável e tendem a estagnar quando as frotas dependem de unidades populacionais que permanecem sobre exploradas.

Os relatórios económicos anuais sobre a frota de pesca da UE apresentam uma visão geral da estrutura e do desempenho económico das frotas de pesca dos 22 Estados-Membros costeiros da UE. Este é o resultado de um trabalho conjunto de peritos económicos do Comité Científico, Técnico e Económico das Pescas e da Comissão Europeia.

Para mais informações pode consultar o relatório aqui.