INE divulga Boletim Mensal da Agricultura e Pescas

O Instituto Nacional de Estatística (INE) divulgou o Boletim Mensal da Agricultura e Pescas que fornece um conjunto de informação conjuntural relativa ao sector primário. A estrutura desta publicação proporciona, através de dados, gráficos e tabela disponibilizados, o acompanhamento estas temáticas e a analise da sua evolução através das séries cronológicas apresentadas.

Previsões Agrícolas

As previsões agrícolas, a 31 de janeiro, apontam para uma diminuição de 25% na produção de azeitona para azeite, essencialmente devido ao fraco vingamento dos frutos. Apesar disso, as 734 mil toneladas previstas posicionam esta campanha como a sexta mais produtiva das últimas oito décadas. Nos cereais de outono/inverno as sementeiras decorreram com atrasos pontuais, em particular nos solos mais sujeitos a encharcamento, apresentando um desenvolvimento normal para a época. Estima-se uma redução de 5% da área semeada de centeio, face a 2020, e a manutenção nos restantes cereais (trigo, triticale, cevada e aveia).

Gado, aves e coelhos abatidos

Neste campo, o peso limpo total de gado abatido e aprovado para consumo em dezembro de 2020 foi de 40 952 toneladas, o que correspondeu a um decréscimo de 1,9% (+2,9% em novembro), devido ao menor volume de abate registado em todas as espécies: bovinos (-2,5%), suínos (-0,9%), ovinos (-18,1%), caprinos (-3,0%) e equídeos (-81,8%). No ano 2020 (dados preliminares) o volume total do gado abatido indica um decréscimo de 0,8% em relação a 2019, devido à diminuição registada nos suínos (-2,2%), ovinos (-11,3%), caprinos (-7,9%) e equídeos (-57,2%). O peso limpo total de aves e coelhos abatidos e aprovados para consumo foi 32 689 toneladas, o que representou um decréscimo de 0,5% (+3,2% em novembro), devido ao menor volume de abate registado nos galináceos (-3,9%), patos (-9,0%) e coelhos (-1,9%). Os dados preliminares de 2020 relativos ao volume total de aves e coelhos abatidos apontam para um aumento de cerca de 1,0%, resultante do maior volume de abate de galináceos (+0,5%), perus (+7,9%) e codornizes (+3,0%).

Produção de aves e ovos

O volume de frango diminuiu 4,3%, com uma produção de 28 601 toneladas (-7,5% em novembro), tendo no entanto aumentado o número de cabeças abatidas em 1,9% (-9,4% em novembro) consequência do peso médio ao abate dos animais ter sido significativamente inferior. A produção de ovos de galinha para consumo registou um acréscimo de 11,0% (+8,1% em novembro), com 10 789 toneladas produzidas. Os dados preliminares de 2020 apontam para uma variação negativa do volume de produção de frango (-2,9%), sendo que a produção de ovos para consumo apresenta um acréscimo de 5,5%, quando comparada com o ano 2019.

Produção de leite e produtos lácteos

A recolha de leite de vaca foi 155,8 mil toneladas, o que indica praticamente uma manutenção (+0,2%) face ao mês homólogo (+1,0% em novembro). A produção de produtos lácteos foi superior em 3,8% (-0,8% em novembro), devido à maior produção de leite para consumo (+3,4%), leites acidificados (+2,7%), nata para consumo (+45,9%) e leite em pó (+2,0%). Os dados preliminares de 2020 apontam para um aumento de 1,6% na recolha anual de leite de vaca e de 2,3% no total de produtos lácteos.

Pescado capturado

O volume de capturas de pescado em Portugal diminuiu 31,1% (-13,5% em novembro), facto justificado pela menor captura de peixes marinhos, sobretudo cavala, mas também de tunídeos, peixe-espada e carapau. Às 4 112 toneladas de pescado correspondeu uma receita de 15 859 mil euros, valor que representou um decréscimo de 2,8% (+17,5% em novembro). O preço médio do pescado descarregado foi 3,78 euros/kg, ou seja, um aumento de 42,6% (+36,0% em novembro). Em 2020 (dados preliminares) a quantidade de pescado capturado diminuiu 19,7% face a 2019. O valor das capturas registou também um decréscimo (-11,1%), resultando num aumento de 10,5% no preço médio do pescado, que se situou nos 2,30 euros/kg.

Preços e índices de preços agrícolas

Em janeiro de 2021, as variações mais significativas, em módulo, no índice de preços de produtos agrícolas no produtor foram observadas na batata (+26,0%), frutos (+21,4%), suínos (-28,5%), azeite a granel (-16,9%) e aves de capoeira (-11,8%). Em comparação com o mês anterior, as variações de maior amplitude verificaram-se nos hortícolas frescos (+18,4%), frutos (+13,4%), azeite a granel (-33,7%), aves de capoeira (-12,3%) e suínos (-10,0%). Em dezembro de 2020, o índice de preços de bens e serviços de consumo corrente (INPUT I) registou uma variação de -0,1%, enquanto que o índice de preços de bens e serviços de investimento (INPUT II) aumentou 1,5%. Relativamente ao mês anterior assistiu-se a um aumento de 0,5% no índice de preços de bens e serviços de consumo corrente, enquanto que no índice de preços de bens e serviços de investimento não se observou qualquer variação.

Efeitos da Covid-19

No ano 2020 (dados preliminares) assistiu-se a uma ligeira diminuição do volume de gado abatido (-0,8%) e a um aumento de 1,0% para a quantidade de aves e coelhos abatidos. Apresentaram igualmente variações positivas a produção de ovos para consumo (+5,5%) e o volume de produtos lácteos (+2,3%). O aumento da procura das famílias suscitada pelo confinamento decretado pela pandemia Covid-19 no primeiro trimestre do ano foi determinante para este resultado. A retoma do nível de consumo das famílias, o encerramento da restauração, redução do turismo e dificuldades de colocação da produção no mercado suscitadas pela conjuntura da Covid-19, conteve algumas produções de origem animal no ano em análise, tendo sido registadas evoluções de decréscimo no abate de suínos, ovinos, caprinos, frangos e patos, bem como para a produção de queijo. Em 2020 o volume de capturas de pescado registou uma diminuição significativa (-19,7%), com um aumento no preço médio de 10,5%.

Pode ter acesso ao relatório completo aqui.