Exportações de pequenos frutos voltaram a aumentar
As exportações de pequenos frutos nacionais cresceram 5,5% em valor face ao ano anterior. As vendas ao exterior desta fileira atingiram 247 milhões de euros no ano passado (face a 234 milhões, em 2019). Os dados são do Instituto Nacional de Estatística.

Em comunicado, a Lusomorango, organização de produtores nacional de frutas e legumes, refere que “os pequenos frutos mantêm-se campeões das exportações agrícolas nacionais”. Desde 2015 que as vendas ao exterior quase triplicaram.

Para além do crescimento em valor, as exportações de pequenos frutos também registaram um recorde em termos de quantidade vendida ao exterior: em 2020, seguiram para os mercados de destino internacionais 39,3 mil toneladas, mais 2% do que no ano anterior.

Os mirtilos (+45%) e as amoras (+32%) foram as categorias que registaram maiores crescimentos, em valor, em termos de exportações. As framboesas mantiveram o registo de 2019, enquanto os morangos registaram um recuo de 25% face ao ano anterior.

Em 2020, mais de metade das exportações destes frutos destinaram-se a dois mercados: o holandês (32%), que representou 80 milhões de euros; e o alemão (20%), que pesou 49 milhões de euros.

Recentemente, o Ministério da Agricultura anunciou que as exportações no setor agroalimentar cresceram 2,5%, no ano passado e a associação Portugal Fresh já indicava que as exportações de frutas, legumes, plantas ornamentais e flores aumentaram 4,4%.