Colóquio debate produção de pequenos frutos

O VI Colóquio Nacional da Produção de Pequenos Frutos realiza-se nos dias 21 e 22 de maio, em formato online. A situação pandémica, salienta a organização, não permite avançar com modelo físico.

De acordo com a organização, a produção de pequenos frutos “tem aumentado de uma forma muito acentuada em Portugal, quer pela existência de excelentes condições ambientais que algumas regiões possuem para produzir para o mercado de exportação, quer pela elevada competência da maioria dos empresários/produtores envolvidos na fileira”.

É, pois neste sentido, que nesta edição do colóquio se pretende analisar e debater áreas fundamentais para a sustentabilidade da produção intensiva de pequenos frutos que não coloquem em causa a competitividade do setor e a rentabilidade das culturas.

“Dinâmica forte” na produção, exportação e transformação

Na página do evento, os promotores realçam que “o setor dos pequenos frutos encontra-se com uma dinâmica extremamente forte ao nível da produção, exportação e transformação, sendo uma das áreas da horto-fruticultura que mais contribui para as exportações portuguesas”.

A fileira cresceu em área, em produção e valor. Em 2018, a área de pequenos frutos ultrapassou os 3 800 hectares em que o mirtilo, só por si, representava metade da área plantada.

No entanto, cabe às framboesas o destaque em relação à produção, cerca de 24 mil toneladas produzidas com um valor exportado que ultrapassou os 165 milhões de euros. No seu conjunto, o valor exportado de pequenos frutos representou mais de 200 milhões de euros.

Nesta sexta edição, o evento contará com um painel de oradores nacionais e estrangeiros de reconhecido mérito, investigadores, técnicos, produtores e outros agentes.

Evento é organizado pelo Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária em colaboração com a Associação Portuguesa de Horticultura e o Centro Operativo e Tecnológico Hortofrutícola Nacional – Centro de Competências.

As inscrições podem ser efetuadas aqui.